Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

A Submergir Lentamente

Hoje estou como o tempo que não sabe se há-de chover ou fazer sol. E eu estou assim… não sei se hei-de rir ou chorar.

Sinto-me a ir abaixo, ando desmotivada, triste e sem vontade de fazer nada.

Sinto-me indesejada, que estou a mais. Ninguém me dirige uma palavra de apoio ou incentivo. Sinto-me desvalorizada.

 

Não dormi nada esta noite outra vez. O sono não vinha e quando, finalmente, estava quase a adormecer, resolveram vir pintar as passadeiras de peões aqui da rua. São 3 passadeiras. Eram cerca de 3 horas da manhã. Fizeram um barulho infernal… Será que não há consideração por quem trabalha? Não havia outra altura para as pintar? Pelo menos punham um silenciador na porra da traquitana…!

 

Continuo à espera que a secretária da minha médica me ligue para me marcar nova consulta. Eu acho que estão a gozar comigo.

O objectivo era marcar uma consulta de nutrição onde ela depois também observaria o estado da loca. Disse-me que seria ou dia 14 ou dia 21 de Setembro. E até agora nada. Não sei se hei-de esperar ou se hei-de ir ao hospital fazer escabeche. É que a loca está a fechar sem problemas, aparentemente, mas e se não tivesse? Uma coisa tão delicada não merece mais atenção? Isto está a enervar-me profundamente. E a contribuir para a minha desmotivação geral.

 

As aulas correram escapatoriamente. Vi a brutamontes. Veio buscar o rádio à minha sala. Vinha com uma cara que eu não percebi se era medo ou ser era de vergonha por se ter esticado com várias pessoas no colégio.

- “ Posso levar este rádio?” – perguntou ela.

- “ Errr… (pausa propositada) pode… hoje pode mas se não houver mais nenhum na escola, temos de negociar o rádio. As minhas aulas têm muitas canções e listenings. Todos os dias preciso dele. Principalmente os níveis mais baixos.” – respondi eu.

- “ Então deixe estar…”

 

Assim é que é… respeitinho aos colegas, principalmente quando não se conhece de lado nenhum e se é novo no colégio. Não admito más-educações de chavalas que ainda não sabem assoar o ranho e têm a mania que são gente.

A chamada de atenção do director baixou-lhe a gadelhinha…